Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Comissão realiza nova reunião para debater estratégias de combate à evasão e retenção de estudantes

Notícias

Comissão realiza nova reunião para debater estratégias de combate à evasão e retenção de estudantes

COMISSÃO DE AÇÕES PARA PERMANÊNCIA DOS ESTUDANTES DO IFTO

Nesta quarta-feira, 12, aconteceu a terceira reunião da Comissão de Ações para Permanência e Êxito dos Estudantes do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), que ganhou novo nome para se adequar aos novos termos designados pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Setec).
por Erica Regina Ferreira publicado: 17/08/2015 10h01 última modificação: 17/08/2015 13h54

Nesta quarta-feira, 12, aconteceu a terceira reunião da Comissão de Ações para Permanência e Êxito dos Estudantes do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), que ganhou novo nome para se adequar aos novos termos designados pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Setec).

 Entre os assuntos discutidos, foi acertada a inclusão de três novos integrantes na comissão: a profissional de Relações Públicas da reitoria, Darlyanne Portilho; o professor Edson Luiz Kraemer, representando coordenadores de cursos da instituição; e o ex-aluno Eduardo Nascimento Rolim, representando os egressos do IFTO.

 O diretor de Assuntos Estudantis e presidente da comissão, Higor Lira, falou sobre a importância de uma profissional de Relações Públicas na comissão. “Precisamos adequar os comunicados, formulários e documentos criados pela comissão a uma linguagem mais próxima do público-alvo: os estudantes e servidores. Devemos rever as estratégias de relacionamento da instituição com os servidores e os estudantes, na recepção de calouros, no contato com os pais dos estudantes e etc. São questões referentes à imagem do IFTO perante seus diversos públicos e a contribuição de um profissional de Relações Públicas é primordial nesse processo”.

 O próximo passo a ser tomado será o pedido de levantamento das ações de combate à evasão e retenção empreendidas em cada um dos campi, bem como das medidas tomadas para a permanência dos estudantes na instituição, e o quanto essas medidas foram favoráveis a esse processo. Todas essas informações vão compor o relatório que será apresentado à comunidade e ao Ministério da Educação. Conforme ressaltou Higor, isso possibilitará uma análise sobre como está o cenário no IFTO hoje, e a visão de como a instituição poderá chegar ao cenário ideal, com as devidas medidas de permanência do aluno no instituto.

 O presidente da comissão também falou sobre a importância de todos os servidores colaborarem com os trabalhos. “As atividades da comissão estão evoluindo e queremos estabelecer uma dinâmica de trabalho com total feedback entre as comissões locais de cada campus. É evidente a importância e a complexidade do tema e precisamos do envolvimento efetivo de todos os servidores para repensarmos o IFTO com olhar totalmente voltado em como maximizar o sucesso do estudante”, declarou.

 O nome da comissão sofreu essa alteração na segunda reunião, realizada no último dia 6, quando também foi discutido que a comissão passará a ter caráter permanente, já que caberá a ela mensurar anualmente a evolução das ações e as taxas de evasão e retenção dentro da instituição. Também ficou estabelecida a criação de comissões locais para direcionar os trabalhos em cada campus, formada por gestores de ensino e equipe de assistência estudantil.

 Naquela reunião, os membros da comissão permanente foram divididos em duas frentes de trabalho: a primeira responsável pela elaboração do relatório atual referente à evasão e retenção no IFTO; e a segunda pela construção dos mecanismos para levantamento dos dados de causas de evasão e retenção, incluindo formulários, questionários e documentos para sistematização dos achados. Além disso, foi solicitado ao reitor do IFTO, Francisco Nairton, que busque a prorrogação dos prazos apresentados pela Setec, devido ao cronograma apertado e à complexidade dos trabalhos.