Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Equipe de professores elabora proposta de mestrado profissional

Notícias

Equipe de professores elabora proposta de mestrado profissional

MESTRADO PROFISSIONAL

Professores de cinco unidades do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) estão reunidos para elaborar a proposta de um mestrado profissional na área de ciências agrárias.
por Thâmara Filgueiras publicado: 29/06/2015 19h05 última modificação: 30/06/2015 08h30

Professores de cinco unidades do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) estão reunidos para elaborar a proposta de um mestrado profissional na área de ciências agrárias. A reunião de trabalho aconteceu nesta segunda-feira, 29, na sede da reitoria, em Palmas.

 De acordo coma diretora de Pós-graduação do IFTO, Erna Denzin, a nova proposta está sendo elaborada com base na avaliação e nas observações feitas pela equipe da Coordenação de Avaliação de Pessoal de Nível Superior (Capes). “Essa nova proposta de mestrado que será submetida atende a lei de criação dos institutos federais, que preconiza a formação de profissionais para o mercado”, acrescentou a diretora.

 Na reunião desta segunda, os professores trabalharam na definição da matriz curricular e das disciplinas e também das linhas de pesquisa e da área de concentração, entre outros pontos necessários para a submissão da proposta junto a Capes. Marcus André Correia, professor que integra a equipe de elaboração da proposta, informou o nome do mestrado: Programa de Pós-graduação em Agropecuária Tropical Sustentável.

 “A proposta foca no que a instituição tem de melhor para atender este curso, seja na parte física, estrutural e docente”, disse Marcus, que adiantou que a proposta é que o mestrado atenda duas linhas de pesquisa: uma em conservação e manejo de recursos naturais em ambientes tropicais, que vai abranger, especificamente, em solos, água e plantas, e outra em manejo e produção agropecuária em ambiente tropical, focando na parte animal e vegetal.

 A proposta contará com uma equipe formada por 12 professores do IFTO, dos campi Araguatins, Colinas do Tocantins, Dianópolis e Gurupi e também do Campus Avançado Lagoa da Confusão, além de dois professores convidados. Se aprovado, o curso ofertará 15 vagas.

A previsão é que o resultado da avaliação da proposta seja divulgado pela Capes no final do ano.