Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Matopiba: IFTO contribuirá com qualificação profissional para a região

Notícias

Matopiba: IFTO contribuirá com qualificação profissional para a região

MATOPIBA

A partir do acesso a tecnologias que facilitam o plantio, a região do Matopiba, que compreende os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, passou a representar cerca de 10% de toda a produção nacional de grãos.
por Thâmara Filgueiras publicado: 27/11/2015 07h48 última modificação: 27/11/2015 07h48

A partir do acesso a tecnologias que facilitam o plantio, a região do Matopiba, que compreende os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, passou a representar cerca de 10% de toda a produção nacional de grãos. Com o crescimento da produtividade da região, também se tornou necessário aumentar a qualificação de profissionais. Para atender a essa crescente demanda, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO) vai contribuir com a qualificação profissional.

 Este assunto foi um dos temas do seminário Matopiba – Nova fronteira agropecuária do Brasil, ocorrido na manhã desta quinta-feira, 26, no auditório Cuica da Universidade Federal do Tocantins (UFT). O evento contou com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, que afirmou que o IFTO terá um papel muito importante para o Motapiba. “Em especial pelos novos cursos que serão criados, que vão promover qualificação para a população. A participação do IFTO vai ser magnífica”, acrescentou.

O reitor do IFTO, Francisco Nairton, reforçou o papel do instituto. “Os institutos federais já têm, por natureza, a questão da inovação tecnológica, a pesquisa aplicada, que é o foco que está sendo discutido aqui. E o IFTO tem muito a contribuir nas várias formações técnicas, especialmente na área agropecuária, com esse projeto, para a região Norte e para todo o Brasil”, e acrescentou: “nosso objetivo é criar cursos que atendam à demanda dos arranjos produtivos locais e do mundo do trabalho”.

O evento também contou com as palestras “Planejamento, inovação, ciência e tecnologia para o Matopiba”, com o professor da Universidade de São Paulo Vanderlei Bagnato; “Pesca e aquicultura – Novos rumos”, com o chefe-geral da Embrapa Pesca e Aquicultura, Carlos Magno; e “Área irrigável e potencial produtivo do Estado do Tocantins”, com o coordenador-geral substituto de Negócios de Agricultura Irrigada, do Ministério da Integração, Caio Leite; além da apresentação do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT/Matopiba), pelo professor da UFT Waldecy Rodrigues.

 Interiorização do ensino

Um dos pontos que contribuem para a atuação do IFTO no desenvolvimento da região do Matopiba é a localização estratégica de unidades de ensino no interior do Estado, especialmente nos municípios de Araguatins e Dianópolis, que estão próximos às fronteiras dos Estados vizinhos que integram a nova fronteira agrícola. Além disso, o instituto possui outros campi em municípios com grande produtividade no cenário do agronegócio tocantinense, como Formoso do Araguaia, Lagoa da Confusão e Pedro Afonso.

O palestrante Caio Leite destacou, em sua fala, a importância dos institutos federais na oferta de ensino para os municípios do interior. “Fico muito contente em ver os estudantes do instituto federal neste evento. Isso reforça a importância da Rede (Federal de Educação Profissional e Tecnológica) no processo de capilarização da formação profissional”.